segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Documentário "Behind the pain" traduzido


"Behind the Pain(por trás da dor)" é um documentário lançado em 2007 que retrata o que Adam passou com as drogas.
Abaixo, o documentário em vídeo com legendas em português-br (créditos a Maria Elisa de Lima pela tradução e Ivan Rezende pela legenda):


ESTA É UMA HISTÓRIA VERDADEIRA
Adam: Eu estou sentado agora na parte de trás, de trás do salão do meu ônibus só tentando relaxar, sabe...

E se fosse dada a você a oportunidade de mudar sua vida, se alguém olhasse na sua cara quando você não tivesse mais esperanças e dissesse: "Este é meu amigo... Como você vai usar seus três dias de graça?”

Adam: Os dois últimos dias da turnê eu estive pensando que eles tem sido difíceis, sabe? Hum... Tem muita coisa acontecendo, sabe... na minha vida pessoal.

Naomi: Eu não conheço nenhum viciado que não esteja sofrendo emocionalmente, sabe? Eu não acredito que ficam doidões só para ficarem altos, eles estão encobrindo alguma coisa, alguma coisa lá, né?

Depois de anos lutando contra o abuso de drogas, Adam Gontier do Three Days Grace atravessou as portas do CAMH (Center for Addiction & Mental Health - Centro de Dependência e Saúde Mental), na esperança de finalmente transformar a sua vida ao redor.

Um ano e meio depois, Adam voltou ao mesmo lugar que salvou sua vida. Ele se apresentou na frente de 300 pessoas em recuperação, bem como seus fãs.

ESTA É A HISTÓRIA DELE

Adam: Se eu não tivesse largado as drogas, eu provavelmente estaria na cadeia ou estaria morto, de qualquer jeito é isso. Ainda não parei de fumar...

Brad: Em nosso último registro do nosso primeiro disco, nós viajamos por 20 meses seguidos, e sabe... a estrada tem o melhor de nós, especialmente do Adam.

Naomi: Eu sabia que ele tinha se perdido no amor pela música, e foi aí que eu realmente me assustei.

Adam: Foi antes de pegarmos estrada, quando eu realmente comecei a entrar num abuso severo de drogas. Eu poderia ter facilmente uma overdose ou não acordar. Nós estávamos fazendo uma espécie de turnê acústica, ao mesmo tempo em que fazíamos os shows de rock. Chegamos a diferentes centros de reabilitação.

Brad: Eu acho muito legal estarmos de volta no mesmo lugar que ele veio, sabe... Voltar para a mesma comunidade que nos deu tanto. É incrível.

Ele convidou as pessoas para o microfone para fazerem perguntas: Adam tentou responder o máximo de perguntas que pôde.

Naomi: Há muitas pessoas que tem familiares e amigos que estão no fundo do poço e o fundo do posso é um lugar assustador, assustador.

Adam: Você sabe, que para mim é uma chance de falar, e o principal motivo para eu estar fazendo isso, é para que eu possa falar com os jovens sobre o fato de que existe vida girando em torno de você, sabe... É muito, muito possível.

Adam: Eu achei que eu era a única pessoa que sabia, obviamente, os caras da banda perceberam isso, a mudança no meu comportamento, eles notaram, eles definitivamente sabiam que algo estava acontecendo.

PAIN WITHOUT LOVE

Brad: Nós fizemos só uma turnê Canadense e basicamente todas as chances que tínhamos, nós íamos para centros de tratamento, e nós fizemos pequenos shows, e a maior parte do tempo era só o Adam no acústico, nós realmente não tivemos a chance de fazer a coisa toda da banda, então é bem legal.

YOU'RE SICK OF FEELING NUMB

Adam: O ponto mais baixo foi algumas vezes quando me senti perto de ser preso ou ter a minha vida em risco andando pelas terríveis, terríveis vizinhanças, andando em volta tentando "marcar".

Neil: Como um artista, nós temos a oportunidade para talvez dar as pessoas uma nova perspectiva nas coisas que elas não pensariam de outra forma, através da música. Isso é uma coisa muita poderosa, se você pode usá-la.

Brad: Realmente uma sensação incrível, cara. Porque você passa por todas essas coisas como um grupo e quando você expande isso para o público, é incrível ver quantas pessoas podem relacionar com o seu problema.

Brad: Ah Adam, Adam veio até nós com as letras e é realmente tudo que girava em torno de tudo que passamos juntos com seus vícios e eu realmente acho que as pessoas se identificam com isso.

PAIN I CAN’T GET ENOUGH

Adam: Para mim, tem sido incrível a maneira de liberar e colocar tudo para fora e, sabe, apenas não esconder nada, basta colocar tudo pra fora, se você está confortável com o que você sabe em sua música, é uma forma excelente de apenas expressar tudo.

Pergunta: O que fez você começar a usar drogas?

Adam: Ah, sei lá, eu acho que foi uma combinação de algumas coisas diferentes, havia apenas um monte de coisas acontecendo na minha vida e eu me senti como se eu precisasse de uma pausa a partir daí.

Dr. Paul Garfinkel: O vício é um problema multi-fixação, o que pode se manifestar de muitas maneiras diferentes.

Adam: Eu acho que foi na festa de alguém ou qualquer coisa, e me ofereceram um. Eu peguei um, foi uma sensação muito boa, e nunca pensei alguma coisa sobre isso novamente.

THIS WORLD WILL NEVER BE...

Adam: Eu acho que alguns dias depois eu corri para a mesma pessoa que tinha a mesma coisa e eu disse: oh, hey, eu vou tentar uma dessas novamente.

I Will not leave alone everything that I own to make you feel like it’s not too late, it’s never too late

Dr. Paul Garfinkel: Nós podemos nos tornar dependentes de muitas coisas e temos diferentes propensões conforme cada indivíduo.

Naomi: A recuperação é um tipo de palavra que é colocada o tempo todo e eu acho que as pessoas podem pensar “eu estou ficando limpa e é um acontecimento, e agora eu só fiz isso, eu estou em uma desintoxicação e está fora do meu sistema”, mas é depois disso, que é realmente difícil.

Adam: Ela tem sido incrível, cara. Ela tem estado no mesmo tipo de situação e ela tem sido simplesmente inacreditável. Se não fosse ela, eu provavelmente não estaria num bom lugar agora.

To make you feel like it’s not too late, it’s never too late...

Naomi: Você se olha no espelho e não se viu em 10 anos em nossa vida.

Adam: Nós estivemos juntos por tanto tempo, nós nos conhecemos desde o colégio, ela é minha esposa e minha melhor amiga também. Ela não saiu, ela ficou ao redor e me fez passar por isso.

Now and again we try to just stay alive, Maybe we’ll turn it around cause it’s not too late it’s never too late.

Naomi: Carregar os vícios sempre traz flexões, fazem a cabeça, né? Gritando em seu ouvido, dizendo “Qual é, cara? Pega uma, pega uma”.

Adam: É uma coisa muito difícil de passar, mesmo se você tiver um sistema de apoio, sem um, é realmente muito difícil. Tudo bem falar sobre isso, que é possível você mudar sua vida. Você saberá que mesmo que se sinta sozinho, as pessoas se sentem sozinhas, mas certamente não estão.

Pergunta: Que outros aspectos da sua vida que você notou que mudaram de que você goste mais?

Adam: Quase tudo em toda minha perspectiva mudou, sabe? Por alguns anos eu estava vendo coisas, e eu estava olhando através de um conjunto de olhos embaçados, você sabe o que quero dizer? Eu era um zumbi. Agora, tenho emoções, sinto coisas e coisas que eu nunca tive antes, então eu acho que tem afetado todos os aspectos da minha vida, minhas relações com as pessoas, minha família, meus amigos e meus companheiros de banda, todo mundo.

Adam: Eu comecei a tomar percocets como a versão mais fraca do hydrocodone. No fim de tudo, eu estava levando cerca de 10 a 20, 80 miligramas de OxyContin, apenas comendo, esmagando, mastigando pela metade. A terceira vez que eu realmente vi, foi batê-lo fora do tempo de liberá-lo. Foi um momento agradável.

Adam: Eu estava usando eles todos os dias, e eu não podia começar meu dia e acordar sem eles.

Naomi: Ele simplesmente quebrou, apenas chorou e disse: “você sabe que eu sinto muito, eu preciso de ajuda”, e ele estava com medo de ir para a reabilitação, mas eu chamei todo mundo que eu conhecia no hospital e disse que esta era situação de vida ou morte, ele estava em grandes problemas e ele precisava fazer algo.

I can’t escape this hell so many times I’ve tried

Adam: Enquanto eu estava na reabilitação, eu estava sentindo tantas emoções loucas, e todas essas coisas. Eu estava escrevendo muito, apenas botando tudo pra fora no papel.

Dr. Paul Garfinkel: Uma vez que você está viciado, há um percurso a percorrer. Isso é extremamente difícil de quebrar, independentemente do que está acontecendo.

Somebody help me tame this animal

Naomi: A coisa é: Eu sabia que Adam estava usando e eu sabia que havia um problema. Eu não sabia a extensão. Ele teve uma alta tolerância.

Adam: Só pelas mentiras, e todas as manipulações que eu fazia com ela, ela poderia ter abandonado fácil.

So what if you can see the darker side of me

Adam: A coisa mais importante agora é poder sentir os shows como antes. Tipo, nós tocamos em tantos shows grandes. Nós fomos para o Brasil, Austrália, em todo mundo, e eu simplesmente não senti nada.

No one will ever change this animal I have become

Adam: Então eu realmente me encontrei colocando minha vida em risco só para tentar encontrar alguma coisa e tentar explorar algo assim, você sabe, aqueles momentos quando você está na estrada.

Naomi: Eu finalmente disse para ele quando ele encerrou a turnê de dois anos: "Eu sei o que está acontecendo e você realmente não pode mais esconder esse demônio".

Pergunta: Eu só estava me perguntando o que fez você passar pelos aspectos mentais do vício, tipo, se tinha uma pessoa específica.

Adam: É, eu passei muito tempo com minha esposa Naomi durante todo esse período, quando eu saí do hospital eu estava tentando a sorte de viver um estilo de vida diferente. Ela foi a única que esteve comigo todos os dias e isso foi um tipo de ajuda para passar por isso.

Naomi: Ele usou música como terapia e ele apenas escreveu, escreveu e escreveu.

Adam: Sim, é uma espécie de álbum muito pessoal.
Brad: Estamos de volta onde começamos, é uma nova energia. Aprendemos muito sobre a estrada e como permanecer saudável nela, como nos proteger.

Adam: O momento que deveríamos escrever para o disco ou o que fosse, o momento estava realmente muito bom.

Do you think about everything you’ve been through, you never thought you’d be so depressed…

Dr. Paul Garfinkel: Frequentemente, muitas pessoas dão um passo a frente aos olhos do público e dizem: isto não é tão estranho ou terrível, é como qualquer outra coisa. Quando as pessoas dão este passo a frente, é extremamente efetivo.

Adam: Quando eu me senti forte o suficiente para voltar para a banda, sabe, começar a tocar com eles novamente, eu tinha todas essas letras e todas as coisas que eu tinha escrito, eles tinham a música que eles vinham trabalhando, e isso funcionou muito bem.

No time for goodbye, he said as he faded away, don’t put your life in someone’s hands they’re bound to steal it away

Dr. Paul Garfinkel: As pessoas que tem vícios são como pessoas com qualquer outro tipo de dor humana, no sofrimento. Merecem compreensão, merecem ajuda, isso é um tremendo mito.

If you wanna get out alive oh run for your life

Neil: É definitivamente um pequeno momento bom para nós, porque estamos certamente todos coletivamente, em um lugar diferente do que estávamos antes, e agora, nós meio que percebemos o que precisamos fazer para continuar esta jornada que... sabe,é um sonho realizado ser capaz de fazer isso todos os dias.

Adam: Eu corro para as pessoas que me dizem que essa música significa algo para elas. Há um monte de gente lá fora que tem passado por muito mais coisas que eu passei. Só de saber que a nossa música afeta as pessoas, é incrível.

If I stay it won’t be long till I’m burning on the inside

Adam: Minhas letras definitivamente me ajudaram a cada noite. Eu tenho uma chance de entrar no palco e receber muito daquilo, então sim, elas realmente ajudam muito.

Adam: O show vai ser por inteiro hoje. Eu normalmente vou para o local e converso com as pessoas. Não é tanto sobre a música, é mais da mensagem, mas hoje parece que tem um monte de pessoas aqui em Toronto que são fãs da banda e tem passado por algumas coisas, então sim, hoje vai ser um bom show.

Pergunta: Na sua opinião, qual é a melhor coisa que se pode fazer por uma pessoa, tipo um amigo, para ajudá-lo a passar por isso?

Adam: Você deve se unir com a família, a família que eles tem, os amigos que eles tem, e confrontá-los sobre a questão. Muitas pessoas não querem falar sobre isso quando elas tem um problema, porque elas sentem como se elas tivessem feito algo errado. Apenas se una com os amigos que eles tem, converse com eles, fale com eles para obter ajuda. Boa sorte.

I will not leave alone everything that I own

Adam: Eu vim a esta instalação CAMH aqui em Toronto e fiquei limpo.

Dr. Paul Garfinkel: A mensagem que eu li é a natureza do vício e como o tratamento pode fazer uma enorme diferença.

Adam: A coisa mais importante para mim é se eu poderia dar um pouquinho de inspiração através de algumas pessoas que sentem que não podem mudar, sabe... é do que se trata.

Maybe we’ll turn it around cause it’s not too late, it’s never too late

Adam: Tem sido assim há um ano e oito meses, ou algo assim.

And if there’s something wrong

Adam: Obrigado pelo apoio a todos, isso significa muito para mim e para nós.

Adam: O que é uma banda? Esses caras são incríveis, você sabe disso?

Pergunta: Agora que você está sóbrio, como é o suporte de sua banda?

Adam: Eles sempre me deram muito suporte em tudo o que eu fiz. Nós somos como uma família, estamos juntos há muito tempo, desde o primeiro ano no colegial, e estamos juntos desde então. Eles simplesmente são como meus irmãos.

Pergunta: O que vem primeiro para o seu sistema de música?

Adam: Hum, é uma boa pergunta. Nós realmente escrevemos como uma banda. Todos nós sentamos juntos com guitarras acústicas e escrevemos músicas. Muitas das vezes, algumas das músicas, eu tinha a letra para eles. Enquanto eu estava passando pela reabilitação, eu escrevi as letras. Os caras estavam escrevendo algumas músicas, mas nós, como um grupo, tendemos a escrever músicas juntos, nós nos sentamos juntos e seguimos em frente com as melhores canções que pudermos.

Pergunta: Quando vocês estavam apenas começando, vocês imaginavam que a música de vocês chegaria a tantas pessoas?

Adam: Não, eu não acho que eu realmente tenha pensado muito sobre isso, quero dizer, eu sempre soube que eu queria ser músico e que eu queria tocar, não importa o quê, mas não, eu nunca realmente pensei que poderia chegar ao ponto que atinge a tantas pessoas. Então nós somos realmente sortudos por isso ter acontecido.

Adam: Eu sinto que deveria me curvar ou algo assim... *curva-se*. Muito obrigado. Muito obrigado, vocês são demais.

Adam: Para o meu futuro, tudo o que eu posso fazer é levá-lo a cada dia, tentar me concentrar em todos os dias e passar por todos os dias.

9 comentários:

  1. Isabella Chamberlain18 de janeiro de 2011 14:21

    Muito legal, eu sabia que ele passou pelas drogas, mas esse documentário deu pra sentir como ele se sentia e tal. ah, e obrigado por traduzir sem a tradução seria dificil!

    ResponderExcluir
  2. Bom documentário, parabens pelo blog, tem muitas informações aqui que eu nem sonhava que existiam. Sempre eu virei aqui saber as novidades (o site oficial tá uma merda).

    ResponderExcluir
  3. obrigada pela tradução!!!! pena que já não tem direto no YouTube =(

    ResponderExcluir
  4. Muito Obrigado. Adoro os Three Days Grace. Adorava baixar esse documentário, mas não encontro :(

    ResponderExcluir
  5. Obrigado por postarem legendado. Está muito bom.
    Se alguem arranjasse com qualidade DVDRip ou algo assim é que era nice.

    Mas obrigado na mesma!

    ResponderExcluir
  6. O mais importante disso tudo é que eles se mantiveram juntos dando sequencia a banda e deixando os fãs muito felizes, e eu sou um desses fãs. Three Days Grace são demais.

    ResponderExcluir
  7. Outra banda qualquer poderia ter se desmanchado e seguido cada um pro seu lado, ou até mesmo arranjado outro vocalista.
    Sem dúvida alguma, eles são demais. (:

    ResponderExcluir
  8. I love tree days grace��

    ResponderExcluir
  9. Caramba :( não sabia que ele tinha passado por tanta coisa pra ter saído da banda.Documentário incrível.

    ResponderExcluir